10 sinais de que seu filho pode estar ansioso, não apenas tímido
Infância

10 sinais de que seu filho pode estar ansioso, não apenas tímido

Uma criança descrita como “tímida” pode ter dificuldade em falar na escola, falar com adultos que não são familiares a ela e até mesmo fazer amizade com colegas. Todos esses comportamentos parecem ser característicos da timidez natural. Mas como saber se uma criança é mais do que tímida, se sua incapacidade de se comunicar com os outros se torna tão extrema que interfere em seu funcionamento na vida diária?

A ansiedade social - um distúrbio psiquiátrico oficialmente reconhecido - pode se parece muito com timidez e pode ser difícil saber quando uma criança está além de tímida e precisa da ajuda de um profissional de saúde mental. O Manual Diagnóstico e Estatístico da American Psychiatric Association (APA), usado por profissionais de saúde mental, afirma que os sintomas do transtorno de ansiedade social devem estar presentes por seis meses ou mais para que um diagnóstico seja feito.

Os 10 sinais de que uma criança pode ter ansiedade em vez de simples timidez envolvem não apenas os sintomas, mas também sua intensidade e tendência a interromper o funcionamento normal da criança.

1. Medo de constrangimento

Uma pessoa com ansiedade social sente medo real quando confrontada com uma situação social. Eles podem temer que os outros os vejam de forma crítica e que, de alguma forma, se envergonhem na frente dos outros. Estar em um ambiente social pode ser parecido com uma exibição ou uma atuação.

2. Intensidade do medo

O medo de situações sociais pode atingir fortemente uma pessoa ansiosa: ela pode apresentar sintomas físicos como coração disparado, boca seca, palmas das mãos suadas, tremores e voz trêmula. A mente e o corpo estão interligados quando se trata de ansiedade.

3. Ataques de ansiedade ou pânico

Os sentimentos de medo da pessoa ansiosa em relação a uma situação social podem aumentar a ponto de ela sofrer um ataque de ansiedade ou de pânico. Esses tipos de ataques podem ser assustadores. Eles podem envolver sintomas físicos intensos, como palpitações cardíacas, dor no peito, falta de ar e náuseas. Muitas pessoas tendo um ataque de pânico sentem como se estivessem tendo um ataque cardíaco.

4. A consciência do medo está fora da proporção do gatilho

A criança com ansiedade pode estar totalmente ciente de que seus sentimentos de medo de ir a uma reunião social como uma festa de aniversário são irracionais, mas ela não consegue controlar mesmo assim.

5. Evitar situações que causam medo

Crianças com extrema ansiedade social geralmente evitam as situações que causam seus medos. A escola costuma ser um ambiente que gera medos na criança ansiosa, pois exige que a criança desempenhe e se envolva com outras pessoas em um nível que pode parecer opressor.

6. Interferência na vida normal

Para as crianças, ir à escola faz parte da vida cotidiana. Se a ansiedade severa impedir a criança de frequentar a escola, ela não poderá ter acesso a uma educação ou se socializar com os colegas, ambos aspectos importantes de uma vida chamada "normal".

7. Abandono das atividades sociais

Além de faltar à escola, evitar outras atividades sociais típicas da infância, como festas, encontros e atividades extracurriculares, como clubes e esportes, pode deixar a criança ansiosa se sentindo sozinha e frustrada pela incapacidade de se conectar com outros.

8. Seis ou mais meses de sintomas

Para que a ansiedade social seja diagnosticada, os sintomas devem estar presentes e interferir no funcionamento da criança por seis ou mais meses. Esse período mostra que a ansiedade é mais sobre como a criança está “programada” do que sobre como evitar certas situações desconfortáveis. A ansiedade é mais difundida e persistente do que crises temporárias de insegurança ou timidez.

9. Nenhuma outra razão médica para os medos e evasão

Um médico pode descartar o impacto dos medicamentos que a criança pode estar tomando, ou qualquer outra condição concomitante, no comportamento da criança.

10. Seu instinto lhe diz que é mais do que simples timidez

Aqueles que estão mais próximos de uma criança com ansiedade conhecem melhor essa criança e sua intuição pode dizer a eles muito antes que os sintomas se tornem intensos e debilitantes que a criança é afetada por um condição mais intensa e penetrante do que a timidez. Confie em seu instinto. Se o seu filho parece estar impedido de se relacionar com sucesso com o mundo, verifique com seu pediatra.

Crédito da foto em destaque: AngelsWings via imcreator.com